LEIA TAMBÉM

O período das férias escolares já passou, mas ainda é muito comum ver crianças empinando pipas em Fortaleza. E é visando a conscientização para o não uso de cerol e também as linhas chilenas, que possuem um efeito ainda mais nocivo, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) apoiará a campanha #MotociclistasPelaVida. Na última sexta-feira (9), o secretário da SSPDS, André Costa, se reuniu com representantes da iniciativa, na sede da Secretaria, em Fortaleza.

A partir do diálogo entre o gestor da SSPDS e os representantes da campanha, a Secretaria definiu que intensificará as ações educativas de prevenção nas escolas, por meio dos programas sociais das Polícias Civil e Militar.

“Eles relataram toda a problemática que tem acontecido. E a gente discutiu algumas ações. Teremos equipes do motopatrulhamento e será uma representatividade da Segurança Pública para mostrar que apoiamos a causa e reprimirmos essa conduta, que é proibida por uma lei municipal. Então, vamos participar ativamente e trataremos com a Prefeitura para que possamos fazer cumprir essa legislação”, disse André Costa.

A Lei de N° 10.239/2014, de 22 de julho de 2014, da Prefeitura de Fortaleza, proíbe o uso, a fabricação e o depósito de cerol, de linha chilena ou de qualquer outro tipo de material cortante em pipas, papagaios, pandorgas e semelhantes artefatos lúdicos. A punição para esse tipo de conduta varia entre o pagamento de multas (Unidade Fiscal do Município de Fortaleza) até a suspensão de alvarás de funcionamento, em caso de estabelecimentos que comercializem as linhas.

“Ter a Secretaria junto à campanha é importante por causa das ações para coibir a venda desses materiais, inclusive, com o fechamento de locais que comercializem essas linhas. Porque na verdade, elas são armas silenciosas. A gente não vê e, no momento que percebe, já está ali, atingindo a mão, o pescoço, provocando acidentes. E quero destacar que a gente não é contra o esporte de empinar pipa”, ressalta um dos organizadores da campanha, Franklin de Albuquerque.

continua depois da publicidade

continue lendo

Campanha de conscientização nas escolas

Durante a reunião, o secretário da SSPDS definiu algumas ações educativas nas escolas, promovidas pelo Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd) da Polícia Militar do Ceará (PMCE) e pela Divisão de Proteção ao Estudante (Dipre) da Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE). “Vamos atuar junto deles e sugerir que as secretarias de Educação do Estado e do Município apóiem também uma campanha educativa com as nossas crianças e adolescentes, buscando a conscientização da juventude para evitar que ocorram novos acidentes”, disse Costa.

Os riscos do cerol e da linha chilena
O cerol consiste na mistura de cola de madeira com vidro moído, e é utilizado nas linhas de pipas. O efeito provocado é de uma espécie de navalha, que pode causar acidentes fatais. No caso da linha chilena, o efeito nocivo é quatro vezes maior do que a do cerol, em razão da sua composição, que é feita industrialmente. A linha ou barbante é composto por pó de quartzo e óxido de alumínio.

O risco da utilização de tais materiais não se restringe somente aos motociclistas, que historicamente sofrem as consequência do uso de cerol ou da linha chilena. Transeuntes também podem ser vítimas do seu efeito cortante.

Denúncia

A população pode auxiliar nos trabalhos policiais, repassando informações que ajudem na localização de estabelecimentos que comercializem cerol e linhas chilenas. A denúncia pode ser feita ao Disque Denúncia da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), pelo 181; ou pelo número 190 da Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops). O sigilo e o anonimato são garantidos.

O post Governo apoia campanha #MotociclistasPelaVida para o combate ao uso e venda de cerol e linhas chilenas apareceu primeiro em Governo do Estado do Ceará.

A informação é da Assessoria de Comunicação